close
Share with your friends

Publicação mostra os impactos da crise sanitária para os negócios de família

Um estudo realizado pela KPMG Private Enterprise em conjunto com o Consórcio Global do Projeto STEP mostrou que a resiliência, o envolvimento e a mentalidade de longo prazo das empresas familiares fizeram com que elas tivessem um papel fundamental para liderar a recuperação econômica durante a crise.  

Com o título “Liderando o retorno: Como as empresas familiares estão triunfando sobre a covid-19”, o relatório inclui insights de cerca de 2.500 empresas familiares e mais de 500 negócios não familiares.

A publicação revela três estratégias principais utilizadas pelas famílias empresárias para enfrentar os impactos da pandemia:

  1. Exercício da paciência: As empresas familiares estão focadas em proteger seus planos futuros e de sucessão para a próxima geração. Segundo o estudo, essa mentalidade permitiu que as famílias entendessem o impacto global da covid-19 nos negócios e em outras empresas do seu setor, visando adotar planos de longo prazo em vez de apenas mitigar os efeitos de curto prazo da pandemia.
  2. Responsabilidade social: Os negócios de família tomaram medidas para enfrentar os impactos da pandemia pensando no bem-estar da sociedade e nas necessidades de todas as partes interessadas, incluindo funcionários, clientes, fornecedores e comunidades.
  3. Transformação do negócio: A pesquisa ainda concluiu que as empresas familiares estão 42% mais propensas a implementar estratégias de transformação de negócios do que os empreendimentos não familiares durante a pandemia. Os negócios de família com várias gerações na empresa tiveram 45% mais chance de promover uma estratégia de transformação de negócios do que as empresas familiares com uma única geração.

Principais impactos da pandemia

Segundo o estudo, 69% das empresas familiares relataram que a covid-19 resultou em uma queda inicial de receita, enquanto 9% delas reportaram um aumento no faturamento em decorrência de ações tomadas para impulsionar seus negócios. Já outros 22% dos empreendimentos pesquisados não relataram mudanças na receita durante o período.

O relatório constatou ainda uma diminuição de 8,56% da força de trabalho entre as empresas familiares em todo o mundo, em comparação com uma redução de 10,24% nas empresas não familiares.

Além disso, 76% dos negócios de família em todo o mundo recorreram a programas de apoio governamental, principalmente na forma de empréstimos de baixo custo. Por outro lado, mais de 70% deles disseram que mantiveram seus investimentos em pesquisa e desenvolvimento, e continuaram lançando novos produtos e serviços. 

A paciência e a mentalidade de longo prazo

O tamanho, a escala e a idade dos negócios também contribuíram para a maneira como as empresas responderam à covid-19. O relatório concluiu que, como os negócios familiares mais antigos têm estado comprometidos em sustentar o empreendedorismo ao longo das gerações, isso os levou a agir cuidadosamente e se concentrar nas soluções de longo prazo.

De acordo com o estudo, o exercício da paciência e os recursos financeiros, especialmente entre as empresas familiares mais antigas e maiores, permitiram que elas suportassem grandes mudanças e desafios nas suas operações no curto prazo e identificassem oportunidades de longo prazo.

Acesse a publicação na íntegra e saiba mais.

Meu perfil

Conteúdo exclusivo e personalizado para você

Sign up today

conecte-se conosco