close
Share with your friends

Até o ano de 2030, a qualidade em Life Sciences passará de uma necessidade de compliance a um estimulo para amplificar valor. Desta forma, infundindo qualidade em todos os departamentos, as empresas podem criar ofertas alinhadas às necessidades do cliente, reduzir o risco de conformidade e danos à marca, além de estimular a melhoria continua.
 

A jornada para instaurar qualidade se fundamenta em três pilares principais:

Tecnologia e inovação: As tecnologias, desde a inteligência artificial (IA) até a análise lógica preditiva, irão desempenhar uma função principal na viabilização da mudança para a qualidade interna. De acordo com o estudo da KPMG, CEO Outlook 2019, 80% dos CEOs de Life Sciences esperam ver um retorno no investimento destes sistemas.


Modelo operacional: Para infundir a qualidade por toda a organização, partes componentes operacionais precisarão mudar, incluindo um foco em parcerias estratégicas, em novas tecnologias e em abordagens inovadoras para aprimorar as práticas de qualidade.


Talento e cultura: a liderança precisará promover uma mentalidade de qualidade em toda a empresa, capacitar as equipes para gerenciar a mudança e garantir que os esforços de qualidade estejam alinhados com a cadeia de valor.

Esperamos que esse material seja útil para suas atividades e nos colocamos à disposição para discutir qualquer questão relacionada a estes temas e para apoiá-lo no que for necessário.

Boa leitura!

Ricardo Pascoal
Sócio-líder de Life Sciences da KPMG no Brasil
ricardopascoal@kpmg.com.br
Tel.: (11) 3940-3260

Leonardo Giusti
Sócio-líder de Healthcare e Life Sciences da KPMG no Brasil
lgiusti@kpmg.com.br
(11) 3940-3213

conecte-se conosco