A visão da KPMG

O setor brasileiro de Serviços Financeiros tem sido objeto de reflexões sobre seu modelo de atuação e eventuais vértices de uma transformação. Parte desse debate advém da entrada de novas figuras no sistema, em especial, pela implementação do Open Banking.

Nesse momento em que a inovação é a palavra-chave para as empresas, o Open Banking começa a ser implementado no país e, dentre seus objetivos, estão o de permitir o compartilhamento de dados e a iniciação de pagamentos para além das instituições financeiras.

O sistema estimula a reflexão acerca de novas ofertas e modelos de negócio para diversas organizações. Esse ponto é justo sempre em que se pondera as oportunidades e os riscos intrínsecos às atividades financeiras e válidos para os atuais participantes do sistema, mas também pelas empresas que pretendem adentrá-lo.

Os sistemas de interação entre empresas da área financeira e não financeira deverão ser aprimorados e integrados por plataformas de tecnologia para, assim, fornecer ao cliente uma experiência completa e fluída.

A KPMG tem atuado em âmbito global no desenvolvimento de estratégias de negócios, modelos operacionais, plataformas tecnológicas e gestão de riscos, apoiando os clientes a criar valor com as oportunidades do Open Banking, seguindo as políticas de segurança e as regulamentações vigentes.  

Escopo do Open Banking

Escopo do Open Banking

Legenda

1. Para compartilhar os seus dados, o cliente precisa executar três etapas: consentimento, autenticação e confirmação.
2. O cliente pode solicitar o compartilhamento para qualquer instituição participante do sistema (bancos e outras instituições financeiras ou não financeiras).
3. Essas instituições têm autorização do Banco Central para compartilhar os dados com demais empresas do ecossistema.
4. As instituições financeiras devem manter os registros de consentimento dos clientes e dos dados compartilhados com cada participante do sistema.
Indicação de Pagamento Open Banking

IITP – Instituição Iniciadora de Transação de Pagamento

Legenda

1. O IITP apresenta ao Cliente a finalidade da Transação de Pagamento, com a identificação das instituições participantes, forma de pagamento, valor e outras informações obrigatórias.
2. O Cliente indica o Consentimento ao IITP.
3. O Banco detentor da conta do Cliente deve Autenticar o Cliente e o IITP e obter a Confirmação do Cliente sobre a transação de pagamento solicitada.
4. O Banco realiza o pagamento ao Lojista.

Nossos serviços para acelerar sua jornada no Open Banking com segurança

Open Banking Insights


Arquitetura
de tecnologia



Cyber
Security



Estratégias de
negócios e
novos modelos
operacionais



Gestão de riscos
e compliance
regulatório e
tributário


Implementação do Open Banking

No Brasil

O Conselho Monetário Nacional (CMN) e o Banco Central regulamentaram o Open Banking no Brasil em novembro de 2020. O sistema será implementado gradualmente com a última fase prevista para dezembro de 2021.

Cronograma do Banco Central

No mundo

O sistema financeiro aberto está se desenvolvendo mundialmente. Alguns países já estão implementando seus modelos, porém, a amplitude de funcionalidades disponíveis e curva de adoção por clientes varia de acordo com a cultura local e estratégia do órgão regulador de cada país.  

Austrália

O Open Banking foi dividido em três fases e lançado oficialmente em julho de 2020. A previsão é que o ecossistema esteja em plena operação em fevereiro de 2022. 

Chile

Em novembro de 2020, o Ministério da Fazenda anunciou uma agenda de trabalho para criar um marco regulatório que promova o ecossistema de Open Banking no país. 

Reino Unido

O marco do Open Banking no Reino Unido - e na Europa - foi o regulamento Payment Services Directive (PSD2). Hoje, mais de 2,5 milhões de pessoas e empresas já utilizam o ecossistema.

Converse com nossos especialistas e conheça mais sobre as soluções desenvolvidas em diversos países, seus benefícios e os desafios encontrados.

Open Banking Week Global 2021

Open Banking Week Global 2021 - Pílulas

conecte-se conosco