close
Share with your friends

Em sintonia com as tendências globais de facilitação do comércio e desburocratização aduaneira demarcados pelo Plano Nacional de Exportação, o Programa Brasileiro de Operador Econômico Autorizado (OEA), disciplinado pela Instrução Normativa RFB nº 1.985, de 29 de outubro de 2020, busca certificar as empresas cuja cadeia logística apresenta características como baixo grau de risco em suas operações e está de acordo com os padrões de excelência da legislação aduaneira.

O Programa tem como princípios:

  • Agilidade;
  •  Confiança;
  • Conformidade legal;
  • Ênfase na comunicação digital.
  • Facilitação;
  • Gestão de riscos;
  • Padrões internacionais de segurança;
  • Parcerias público-privadas;
  • Simplificação;
  • Transparência;
  • Voluntariedade.

O objetivo do OEA é incentivar as empresas que voluntariamente buscam a certificação por entenderem que, assim, podem contribuir efetivamente com a segurança da cadeia logística internacional.

O Programa visa a integração de diversos intervenientes da cadeia logística do comércio internacional, como exportadores, importadores, agentes de transporte e de carga, depositários de mercadorias sobre controle aduaneiro, operadores portuários e aeroportuários. 

As empresas e intervenientes identificados como OEA dispõem dos seguintes benefícios:

  • Estão dispensadas pela Receita Federal do Brasil (RFB) de exigências formalizadas na habilitação de regimes aduaneiros especiais ou já aplicados em áreas especiais que já tenham sido cumpridas na certificação pelo Programa OEA; 
  • Poderão usufruir dos benefícios e das vantagens de Acordos de Reconhecimento Mútuo que a RFB venha a assinar com outras aduanas;
  • Terão percentual reduzido na seleção para canais de conferência dos despachos de exportação e importação;
  • Suas Declarações de Exportações e Importações serão processadas de forma prioritária;
  • No modal marítimo, o importador OEA poderá registrar a DI antes da chegada da carga em território aduaneiro, com aplicação da seleção parametrizada imediata.

O Programa OEA possibilita a certificação do operador nas modalidades:

  • OEA - Segurança (OEA-S), com base nos critérios de segurança aplicados à cadeia logística das operações de comércio exterior;
  • OEA - Conformidade (OEA-C2), baseado nos critérios de cumprimento das obrigações tributárias e aduaneiras.

Para ser admitido no Programa são exigidos os seguintes requisitos:

  • Formalização dos pedidos de certificação, mediante formalização do Dossiê Digital de Atendimento (DDA), instruído com o Requerimento de Certificação OEA e Questionário de Autoavaliação (QAA);
  • Adesão ao Domicílio Tributário Eletrônico (DTE) e à Escrituração Fiscal Digital (EFD);
  • Comprovação de Regularidade Fiscal via Certidão Negativa de Débitos relativos aos créditos tributários federais;
  • Atuação como interveniente em atividade passível de certificação como OEA por no mínimo 24 meses, além de inscrição no CNPJ e recolhimento de tributos federais por igual período;
  • Inexistência de indeferimento de pedido para certificação OEA nos últimos seis meses. 

Saiba mais