A 76ª edição da KPMG Business Insights traz um artigo de Charles Krieck, presidente da KPMG no Brasil e na América do Sul. Intitulado Uma história de legado e protagonismo, o texto aborda o reposicionamento global de marca e ressalta: “trata-se de uma decisão que responde a uma necessidade inerente a todas as marcas fortes”.

Charles Krieck esclarece que o rebranding faz parte de uma evolução natural do que já tem sido feito na Organização. “É uma transformação, sim, mas sem um sentido de ruptura; ao contrário: essa transformação é resultante de mais de 100 anos de legado, de história, de protagonismo, de liderança...

As interações com os stakeholders, o aprendizado constante e a capacidade de transformar insights em oportunidades são destacadas pelo presidente. Ele ressalta, ainda, que a identidade de uma marca não é algo que se cria da noite para o dia, mas algo que se constrói ao longo dos anos.  

A importância das pessoas também é ressaltada pelo presidente: “o intuito é permitir que as pessoas se desenvolvam ao máximo dentro da KPMG: serem quem são, compartilharem conhecimento... É assim que nós criamos um ecossistema capaz de entregar o melhor: para os clientes, o mercado e a sociedade.”

Como o reposicionamento abrange múltiplos aspectos, a questão do tom de voz é essencial. E esse tom é regido por três princípios: Inteligência, Clareza e Confiança

Conteúdo relacionado

Entre em contato conosco

conecte-se conosco

Meu perfil

Conteúdo exclusivo e personalizado para você

Sign up today