Importantes segmentos de mercado estão reavaliando suas tendências e estratégias. Nesse cenário,  o estudo Tendências 2022 para o setor de Consumo e Varejo na América do Sul, produzido pela KPMG, apresenta quatro macrotendências globais que, por sua vez, englobam oito tendências regionais.

Essas macrotendências são: novos ecossistemas e modelos de negócio; novo custo de fazer negócios; construção da confiança a partir de um propósito; e foco na experiência do consumidor (Customer Centricity).

Os impactos da pandemia influenciaram bastante essa mudança de paradigmas no setor. A pesquisa CEO Outlook 2021 aponta, por exemplo, que 74% dos CEOs de empresas de Consumo e Varejo afirmaram que a inovação de suas organizações acelerou muito durante a crise sanitária.  

4 macrotendências do consumo e varejo

1. Novos modelos e ecossistemas de negócios

As plataformas de vendas digitais serão relevantes em qualquer estratégia de crescimento. Trata-se da chamada “omnicanalidade” (relacionamento com o cliente por meio de todos os canais).

Novas tecnologias serão cada vez mais cruciais e a Internet de quinta geração, a rede 5G, acena com mudanças sem precedentes no ambiente virtual. Isso torna os mecanismos de segurança cibernética ainda mais imprescindíveis.

A segurança cibernética também está na pauta dos CEOs, pois para criar uma cadeia de suprimentos automatizada e compatível com uma economia de baixo carbono, a tecnologia é essencial. 

2. O novo custo de fazer negócios

Na América do Sul, a “nova forma de fazer varejo” imposta pela pandemia fez grande parte dos investimentos migrarem para novos ambientes digitais. Controle, inteligência e resiliência são fundamentais para reduzir riscos.

O uso de dados será imprescindível para identificar tendências que sirvam para o desenho de estratégias comerciais e tornar mais eficientes a gestão de estoques, a logística, a distribuição etc.

3. Propósito

A terceira macrotendência sinaliza que, para os clientes, é importante que as empresas tenham um propósito claro e que interajam e contribuam com o desenvolvimento da sociedade em que estão inseridas.

Questões de sustentabilidade, ética, equidade, inclusão, diversidade, direitos humanos, respeito ao bem-estar animal, governança e remuneração justa devem chegar ao conhecimento dos clientes e servir de alicerce para atrair investimentos.

4. Foco no consumidor

O Customer Centricity se traduz na busca, por parte das empresas, da antecipação às necessidades dos clientes, no aumento da fidelização e na capacidade de otimizar a experiência de compra

O estudo da KPMG mostra, portanto, que tecnologias emergentes, cadeia de superimentos eficiente, dados, ESG e centralidade do cliente são exemplos de tendências prevalentes no consumo e varejo.

Conteúdo relacionado

Entre em contato conosco

conecte-se conosco

Meu perfil

Conteúdo exclusivo e personalizado para você

Sign up today