Uma rede de terceiros traz benefícios, mas acarreta riscos. Conforme o mercado global se torna complexo e competitivo, os relacionamentos com terceiros tornam-se cruciais para reduzir custos, gerenciar riscos, melhorar a experiência do cliente, acelerar o lançamento de produtos e serviços e aprimorar o valor e a lucratividade. Sem terceiros confiáveis, as empresas não podem concorrer com organizações mais dinâmicas no seu setor. Além disso, ao convidar terceiros para sua empresa, pode-se abrir portas para ameaças indesejadas.

O cumprimento legal e regulatório, a segurança da informação/segurança cibernética, a continuidade de negócios, a viabilidade estratégica e financeira e os riscos de reputação são alguns dos temas que podem trazer “surpresas” se não forem devidamente avaliados sob a ótica do gerenciamento de riscos.

O KPMG Third-Party Risk Navigator foi desenvolvido para reunir os principais componentes de um programa efetivo de Gerenciamento de Risco de Terceiros (TPRM), considerando seu sequenciamento e interconectividade. O KPMG Third-Party Risk Navigator centra-se em duas seções:

  1. Supervisão do programa: o que considerar como possíveis riscos no programa de risco de terceiros de uma empresa?
  2. Supervisão dos processos: para mitigar riscos potenciais, quais são os processos para lidar com terceiros dentro de uma empresa?

Nossa avaliação de maturidade de risco de terceiros baseia-se nas orientações regulatórias vigentes nos Estados Unidos, na Europa e no Brasil, nos padrões do setor e nos conhecimentos gerais do mercado acerca de maturidade de risco de terceiros.

O KPMG Third-Party Risk Navigator esclarece as ações necessárias para aprimorar um programa de TPRM, identificando possíveis riscos e pontos fracos, além de buscar maior eficiência. Além disso, a KPMG no Brasil oferece soluções que integram nossa metodologia à tecnologia para auxiliar clientes na mitigação de tais riscos.