O foco nos fatores ESG e a aceleração da digitalização, aumento dos ataques cibernéticos, readequação dos modelos de trabalho, negócios e economia são apenas algumas das mudanças e pontos de atenção dos últimos 24 meses. Todos esses temas agregaram desafios emergentes e novas preocupações às agendas corporativas.

Em um ambiente em constante transformação, o papel do comitê de auditoria torna-se cada vez mais importante e desafiador.

A qualidade e a consistência das demonstrações financeiras sustentam fatores como confiança, transparência, relacionamento e reputação corporativos. Por isso, essa continua sendo a prioridade número um dos comitês de auditoria, como mostra a publicação Comitê de Auditoria: prioridades para a agenda de 2022, produzida pelo ACI Institute e o Board Leadership Center da KPMG no Brasil.

Comitês de Auditoria devem manter o foco na qualidade das demonstrações financeiras e no ambiente de controles internos

Mesmo com os riscos emergentes e a ampliação dos temas sob supervisão do comitê, é fundamental manter o foco nos seguintes aspectos:

  • Projeções e notas explicativas.
  • Informações apresentadas no formulário de referência.
  • Consistência nas divulgações.
  • Qualidade dos controles internos relacionados ao processo de fechamento contábil e de preparação das demonstrações financeiras.

O comitê de auditoria deve avaliar e debater com a gestão o ambiente de controles internos da empresa, principalmente aqueles relacionados à preparação das demonstrações financeiras e das informações divulgadas ao mercado.

Essa supervisão constante pode auxiliar a identificar processos que não foram adaptados para contornar as transformações nos modelos de negócios e nos perfis de risco, incluindo os emergentes.

Divulgações relacionadas às mudanças climáticas e às questões ESG e o alinhamento das responsabilidades

Relatórios corporativos relacionados a mudanças climáticas e outras questões ambientais, sociais e de governança (Environmental, Social and Governance - ESG), programas diversidade, equidade e inclusão (DE&I) e saúde e bem-estar da força de trabalho têm chamado a atenção de stakeholders.

O comitê de auditoria deve ser responsável por alinhar as informações publicadas nos diferentes canais corporativos para construir uma narrativa consistente. Esses tópicos devem ser pautas constantes nas interações com a diretoria.

É preciso considerar como são gerenciados e quais os impactos na geração de valor para a companhia e seus públicos de interesse. Além disso, o processo deve incluir a realização de benchmarkings, a análise de metodologias e padrões internacionais, o alinhamento das expectativas de stakeholders e a adequação do formato de comunicação com o mercado.

Demais pontos focais para os debates entre os conselheiros e membros de comitês: compliance, segurança cibernética, gestão de talentos e riscos

Na publicação, foram destacados 8 temas que são considerados prioritários para a agenda do comitê de auditoria em 2022:

  • Manutenção do foco nas demonstrações financeiras e no respectivo ambiente de controles internos.
  • Aprimoramento do foco da empresa em ética e compliance.
  • Atenção à cibersegurança e ao aumento do risco de ataques de ransomware.
  • Entendimento sobre como a tecnologia está impactando a gestão de talentos, a eficiência e a qualidade das áreas contábil e financeira.
  • Garantia de que a auditoria interna está focada em riscos corporativos significativos.
  • Gestão eficiente do tempo e da agenda do comitê de auditoria.
  • Reforço da qualidade da auditoria das demonstrações financeiras e alinhamento das expectativas com o auditor independente.
  • Monitoramento das divulgações relacionadas às mudanças climáticas e às questões de ESG, além do alinhamento das responsabilidades do comitê de auditoria.

Saiba mais

Entre em contato conosco

conecte-se conosco

Meu perfil

Conteúdo exclusivo e personalizado para você

Sign up today