O setor de saúde trabalha com foco no volume e não na qualidade. Esse modelo precisa de mudanças que abranjam desde a remuneração dos serviços prestados até a interação entre as partes envolvidas.

Não é simples operar essas transformações. Elas pressupõem mudanças culturais profundas. No País, as novas formas de se prover saúde só entraram em pauta quando as sinistralidades passaram de 90%.

Ou seja: o assunto só passou a ser discutido quando os custos começaram a pesar nos resultados financeiros. Neste cenário, duas grandes linhas de atuação vêm sendo estruturadas desde 2006.

A primeira é voltada a mudanças no modelo de remuneração do sistema, promovendo a criação de pacotes, valores por grupo de diagnóstico e outros modelos que proporcionam maior previsibilidade e qualidade.

A segunda linha de atuação para o setor de saúde suplementar prioriza a atenção primária, com foco na prevenção, no monitoramento dos pacientes e no direcionamento para cuidados especializados.

Novos debates em saúde suplementar

A discussão sobre novos modelos de atuação no setor saúde, especialmente em saúde suplementar, e de remuneração baseada em valor, tem hoje importância central, enfocando serviços que possibilitem qualidade assistencial.

Não existe uma “receita de bolo” para determinar o acordo comercial perfeito para as partes envolvidas. Isso deve ser definido de comum acordo entre as partes e levando em consideração diversas variáveis, tais como:

  • Um setor de saúde centrado no paciente deve adotar uma abordagem de canais onipresentes para a conexão com os consumidores de serviços.
  • O formato do negócio deve ser discutido entre as partes.
  • É crucial avaliar o potencial de perdas ao longo do tempo.
  • Convém criar tetos de riscos.

Cabe ressaltar que, com apoio da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), várias operadoras começaram a se desenvolver neste sentido. O setor privado de saúde é o mais engajado na busca por mudanças.

Como promover as mudanças?

Mas, como promover as mudanças no setor de saúde complementar brasileiro? Como ir da teoria à prática e proporcionar um novo modelo de saúde, com entrega de valor a todas as partes envolvidas?

Inserir o paciente no centro das atenções do sistema de saúde será primordial: pacientes empoderados exigirão qualidade e uma boa experiência, sem necessariamente diferenciar serviços de saúde de outros mercados.

Além disso, os vários integrantes do setor de saúde trabalharão pela geração de valor aos pacientes, porque isso se tornará interessante tanto para fidelizar clientes quanto para controlar custos. 

Saiba mais

Entre em contato conosco

conecte-se conosco

Meu perfil

Conteúdo exclusivo e personalizado para você

Sign up today