A 6ª edição da Pesquisa nacional sobre o impacto da Covid-19 nos negócios, conduzida pela KPMG no Brasil entre julho e agosto de 2021, concluiu que o avanço da vacinação contra a covid-19 tem impulsionado o otimismo entre os empresários com a retomada dos negócios.

Na edição anterior, publicada em abril deste ano, 85% dos respondentes estavam otimistas com a retomada dos negócios. Já a análise mais recente – baseada em dados de julho e agosto – aponta que 100% dos respondentes estão confiantes.

A pesquisa contou com a participação de 38 empresários de todo o País, que atuam nos seguintes setores:

Agronegócio, Consumo e Varejo, Energia e Recursos Naturais, Governo, Healthcare e Life Sciences, Mercados Industriais, Infraestrutura, ONGs, Serviços Financeiros, Tecnologia, Mídia e Telecomunicações.

Os executivos foram questionados se o início da vacinação alterou o plano de negócios das suas organizações e se os prazos e os projetos sofreram alterações. As respostas foram: 

de “não, os prazos e os projetos não sofreram alterações”.

de “sim, os prazos e os projetos sofreram alterações”.

de “não, mas os prazos e os projetos sofreram alterações”.

de “sim, mas os prazos e os projetos não sofreram alterações”.

Rumo à retomada: empresários esperam volta ao normal em até um ano

E em quanto tempo os setores em que os empresários atuam voltarão a operar normalmente? Também para esta pergunta, as respostas evidenciaram otimismo. 

A grande maioria, 84%, estimou que isso ocorrerá no período de seis meses a um ano.
Para 13%, a demora será de dois a cinco anos.
3% dos respondentes acreditam que suas empresas não voltarão a operar normalmente.

Expectativas com a vacinação

Em relação ao anúncio feito pelas autoridades de saúde acerca de novas cepas do coronavírus, a maioria dos participantes, 87%, afirmou que o problema não impactará nem alterará o plano de retomada dos seus negócios. Mas 13% responderam que repensarão suas estratégias.

Considerando o estágio atual da vacinação, os empresários responderam qual a perspectiva com relação aos resultados do setor em que suas organizações atuam para o segundo semestre de 2021. Os índices revelaram otimismo: 

37% acreditam na manutenção dos níveis de receita em relação ao primeiro semestre.
21% têm expectativa de aumento de até 5% nas receitas em relação ao primeiro semestre.
16% acreditam em aumento acima de 10% em relação ao primeiro semestre.
15% apostam em um aumento entre 7% e 10% em relação ao primeiro semestre.
11% acreditam em um aumento entre 5% e 7% em relação ao primeiro semestre.

Estas são algumas das informações da 6ª edição da “Pesquisa nacional sobre o impacto da Covid-19 nos negócios”. Acesse o conteúdo na íntegra e confira mais insights sobre as expectativas dos empresários.  

Saiba mais