Os aspectos ambientais, sociais e de governança tornaram-se tópicos essenciais para as empresas mundo afora, atuando como um fator determinante para investimentos e um importante diferencial competitivo. Diante deste cenário, uma publicação produzida pela KPMG mostrou que muitos avanços foram realizados no que se refere aos relatórios e à garantia de sustentabilidade nas empresas.

Com o título “Survey of sustainability reporting at technology companies”, o estudo oferece informações relevantes para apoiar líderes, conselheiros e profissionais de sustentabilidade de empresas de tecnologia que têm a responsabilidade de avaliar e preparar os relatórios de sustentabilidade da sua própria organização.

A pesquisa também serve como um guia para investidores, gestores de ativos e agências de classificação que agora consideram a sustentabilidade ou informações ambientais, sociais e de governança (ESG) em sua avaliação de desempenho e risco corporativo.

Os resultados do estudo levam em conta uma comparação do desempenho das empresas de tecnologia com as de outros setores e com as 250 maiores organizações do mundo nos seguintes aspectos:

  • Tendências em relatórios de sustentabilidade;
  • Relatórios de risco climático;
  •  Relatórios de redução de carbono e iniciativas de emissão líquida zero;
  • Relatórios sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

Avanços para a sustentabilidade

A publicação mostra que 83% das empresas de tecnologia elaboram relatórios de sustentabilidade. Embora o resultado seja semelhante ao de outros setores, o número ainda fica atrás dos 96% obtidos pelas 250 maiores organizações do mundo.

Por outro lado, metade dos empreendimentos de tecnologia reconhece o risco das mudanças climáticas em seus relatórios financeiros. O resultado é superior à média geral das indústrias (39%), mas também está abaixo da marca definida pelas 250 maiores organizações do mundo (56%).

Apenas 24% dos empreendimentos de tecnologia elaboram relatórios em linha com as recomendações da TCFD (Força-tarefa para Divulgações Financeiras Relacionadas ao Clima), ficando entre a média geral das indústrias (18%) e as 250 maiores empresas do mundo (37%).

Além disso, somente 44% das empresas de tecnologia vinculam suas metas de redução de carbono às metas climáticas globais, ficando atrás da média geral das indústrias (55%).

Acesse o estudo Survey of sustainability reporting at technology companies na íntegra e saiba mais.

Saiba mais