close
Share with your friends

O atual cenário dos negócios, que está sendo fortemente impactado pela pandemia, tem observado importantes mudanças, em especial, o avanço das atividades digitais. Nesse sentido, a segurança cibernética figura como um dos pontos mais proeminentes no mundo corporativo.

O fato é que a tecnologia e as ferramentas disruptivas permitiram que diversas empresas continuassem a operar mesmo nos períodos de restrição. Apesar desses expressivos benefícios, o ambiente virtual também traz alguns riscos, tais como o avanço dos ataques de ransomware.

Por outro lado, executivos e executivas entendem a relevância de investir em tecnologias e, dessa forma, além de agregar eficiência aos modelos de negócios, garantir a segurança cibernética de suas próprias organizações.  

Nesse sentido e a título de exemplo, segundo uma pesquisa da KPMG de 2020, para continuarem se destacando no setor em que operam, 61% dos CEOs sul-americanos consultados pretendem investir na compra de tecnologias e na digitalização, preparando suas empresas para o futuro. 

Mudança de paradigmas

Duas pesquisas conduzidas pela KPMG em 2020 com CEOs sul-americanos (CIO Survey e CEO Outlook) apontam que o receio com a segurança cibernética disparou em paralelo com o aumento da dependência da tecnologia.

Esse resultado revela que grande parte dos executivos, longe de sentir que suas empresas estão protegidas e preparadas para enfrentar os incidentes cibernéticos, finalmente reconhecem a dissipação daquela “ilusão de segurança” e decidiram se preparar para um novo cenário futuro.

Além disso, outras tendências podem ser observadas. Confira:

  • Frente à nova realidade, as empresas viram-se obrigadas a repensar seus modelos de negócios, assim, há um crescimento exponencial do e-commerce.
  • 18% dos executivos e executivas consultadas na pesquisa Global CEO Outlook Pulse Survey 2021 apontam a cibersegurança como o principal risco para suas organizações. Em 2020, essa preocupação aparecia em 5ª posição.

É igualmente importante que as empresas estejam atentas às capacidades e aos talentos tecnológicos, principalmente aqueles competentes em segurança cibernética, algo que se tornou um dos skills mais exigidos globalmente.

Apesar dos riscos, confiança

Os resultados da análise global CEO Outlook Pulse Survey 2021 apontam que a liderança das organizações está um pouco mais confiante do que no ano passado em suas empresas, setores e países para os próximos três anos.

Essa mudança advém provavelmente do avanço da vacinação contra a covid-19; contudo, as medidas restritivas de distanciamento social tiveram um impacto negativo sobre as perspectivas econômicas mundiais.

Confira, a seguir, os 5 principais riscos apontados pelos respondentes da pesquisa:

  1. Cibersegurança
  2. Impostos
  3. Regulatório
  4. Cadeia de suprimentos
  5. Operacional

As organizações de sucesso não só incorporarão a segurança cibernética como uma parte fundamental da sua estratégia de negócios e mitigação de riscos, mas, ao mesmo tempo, buscarão gerar e apoiar a confiança de seus clientes. 

KPMG Business Insights América do Su l - Edição N°15 Segurança cibernética

Fazer o download
(PDF 1.4MB)


Meu perfil

Conteúdo exclusivo e personalizado para você

Sign up today

conecte-se conosco