close
Share with your friends

O estudo “Gerenciamento de Riscos: os principais fatores de risco divulgados pelas empresas abertas brasileiras, produzido pelo ACI Institute em parceria com o Board Leadership Center da KPMG no Brasil, analisou dados públicos divulgados nos formulários de referência (FR) de 241 empresas abertas do País para traçar um panorama dos fatores de risco mais reportados por essas organizações na sessão 4.1 do FR.

Em sua 6ª edição, a publicação elenca os 25 fatores de risco mais citados, destacando os impactos da pandemia do novo coronavírus na divulgação e no cenário de riscos corporativos, bem como o crescimento da preocupação com questões ESG. Para a classificação dos riscos reportados foram consideradas 54 categorias, incluindo uma inédita: “Covid-19, pandemias e saúde pública” – que figurou entre as mais citadas pelas empresas, tendo sido reportada por 57% delas. O estudo traz, ainda, os 10 principais fatores de risco mencionados pelas empresas em cada setor de negócios.

Agenda ESG ganha força

As questões ambientais, sociais e de governança foram mencionadas por 66% das organizações analisadas pelo estudo. Na edição anterior, divulgada em 2020, esse percentual era de 56%. Os fatores de riscos relacionados à governança estão, pela primeira vez, entre os 25 mais citados pelas companhias, fazendo-se presente em quase 50% das divulgações.

Saiba quais são os 15 principais fatores de risco reportados pelas empresas abertas brasileiras:

  • Riscos regulatórios: 95%;
  • Condições econômicas e de mercado: 92%;
  • Riscos aos acionistas: 91%;
  • Riscos operacionais: 87%;
  • Riscos financeiros e de caixa: 86%;
  • Riscos jurídicos: 85%;
  • Concorrência: 85%;
  • Riscos associados à execução da estratégia de negócios e/ou plano de investimentos: 83%;
  • Riscos associados à atuação do acionista controlador: 75%;
  • Risco de mudança nas políticas governamentais sobre o setor: 68%;
  • Riscos da Tecnologia da Informação: 67%;
  • Risco de inadimplência: 66%;
  • Riscos socioambientais: 66%;
  • Risco de insuficiência do valor e/ou cobertura dos seguros contratados: 66%;
  • Riscos tributários: 64%.

 

Confira o estudo Gerenciamento de Riscos: os principais fatores de risco divulgados pelas empresas abertas brasileiras na íntegra.

Meu perfil

Conteúdo exclusivo e personalizado para você

Sign up today

conecte-se conosco