close
Share with your friends

É indubitável que o varejo foi um dos mercados mais impactados pela pandemia, exigindo que o setor viabilizasse transformações rápidas e sem precedentes. Para refletir sobre esse cenário, a KPMG Global conduziu a análise Retailing in the New Reality.

A publicação traz insights obtidos em uma das principais feiras mundiais do varejo, a NRF Retail’s Big Show, que, este ano, foi promovida de forma totalmente virtual. A agenda do evento, além de refletir o atual cenário do setor, evidenciou as tendências que devem se sobressair em 2021.

A digitalização do varejo foi um dos assuntos que ganhou ainda mais evidência nos debates acerca do futuro desse segmento, pois a inovação e a tecnologia têm protagonizado avanços expressivos tanto em processos estratégicos como em modelos operacionais já existentes.

Contudo, além dessas disrupções, mais quatro temas - que já estavam em pauta há algum tempo no setor - ganharam evidência.

Os quatro aspectos que têm ganhado proeminência no varejo são:

  1. Os modelos de negócios estão evoluindo rapidamente
  2. O “comércio para o consumidor” está surgindo
  3. Tornando os custos sustentáveis
  4. O propósito no centro

Digitalização em curso

Grande parte das discussões da NRF focaram na rápida evolução e dinâmica da relação entre os modelos de negócios físicos e os modelos que adotam recursos de digitalização.

Se por um lado, há evidências de que os dois aspectos estão mais integrados à medida que as lojas adotam recursos digitais e começam a reinventar sua proposta de valor, por outro, está claro que as métricas online são diferentes das físicas.

Outro destaque sobre a digitalização é a mudança no comportamento do consumidor, o qual foi extremamente impactado pela pandemia. E, ademais, um dos desafios das empresas também é o de oferecer experiências personalizadas e positivas.  

Nesse sentido, a necessidade do varejo foi alterar o “caminho para a compra” e criar ou expandir as possibilidades de BOPIS e BOPAC (Buy Online Pickup In Store e Buy Online Pickup At Curbside), ou seja, comprar online e retirar na loja e comprar online e retirar na calçada.

O valor dos princípios ESG

O varejo já reconhece que os consumidores optam por marcas que representam mais do que apenas a soma de seus produtos e serviços. Por isso, os varejistas têm se concentrado no propósito, nos valores e na cultura como forma de gerar resultados e aumentar a resiliência.

Diferentes empresas têm investido esforços em iniciativas de ESG (Environmental, Social and Governance), sendo que as mudanças climáticas e as boas práticas sociais são as mais notáveis.

Esses são alguns dos destaques da publicação Retailing in the New Reality. Acesse o estudo na íntegra e confira como o varejo está enfrentando os desafios da nova realidade, dentre eles, a digitalização de processos e um consumidor cada vez mais atento à atuação das marcas.  

Meu perfil

Conteúdo exclusivo e personalizado para você

Sign up today

conecte-se conosco