close
Share with your friends

O recorte nacional do estudo “CIO Survey 2020”, elaborado pela KPMG no Brasil, aponta para um aumento de investimentos em tecnologia da informação em 2021, no cenário pós-pandemia.

A publicação foi desenvolvida a partir das respostas de participantes brasileiros na pesquisa global, realizada em parceria com a Harvey Nash, que entrevistou 4.200 dirigentes e executivos de TI, de organizações em 83 países.

O relatório traz importantes desdobramentos da covid-19 para o segmento e revelou que:

  • 53% dos entrevistados esperam alta orçamentária para a tecnologia da informação em suas empresas;
  • 34% deles avaliam que o valor destinado deve continuar igual;
  • 13% estimam reduzir os investimentos realizados nesta área.

A pandemia e o novo olhar sobre as lideranças, equipes e clientes

Para 61% dos entrevistados pela pesquisa, a pandemia pode ter contribuído para aumentar permanentemente a influência exercida pelo líder de tecnologia da informação. Por outro lado, as questões de experiência do consumidor também foram ampliadas, assim como as ações direcionadas ao bem-estar das equipes.

Além disso, em função do atual cenário, a publicação aponta que os cuidados com segurança cibernética e proteção de dados devem manter-se como prioritários nos próximos anos, com a digitalização crescente do mercado.

Outras tendências

O levantamento também evidencia que lideranças do setor de tecnologia de informação estão enfrentando todas as adversidades da pandemia com resiliência. Neste contexto, os elementos que ganharam destaque após a eclosão da covid-19 foram:

  • Ingressar em novos mercados geográficos;
  • Melhorar a segurança e a confiança;
  • Ampliar o engajamento do cliente;
  • Capacitar a força de trabalho;
  • Incentivar o envolvimento dos funcionários.

A pesquisa também mostrou que prever cenários futuros está cada vez mais complexo. Em termos globais, 60% dos respondentes afirmaram ser muito difícil traçar prognósticos para longo prazo a partir das incertezas geradas pela pandemia.

No Brasil, o tempo demandado para se ter uma visão precisa do futuro varia:

  • 43% dos entrevistados estimam que o prazo é de 4 a 6 meses;
  • 25% afirmam que a previsão já está acontecendo;
  • 18% avaliam que esse prazo se situe entre 7 e 12 meses;
  • 7% apostam em algo entre 13 e 24 meses;
  • 7% acreditam que será em até 3 meses.

Acesse a publicação “CIO Survey 2020 na íntegra e saiba mais.

CIO Survey 2020

Download PDF
(PDF 4.7MB)


conecte-se conosco