close
Share with your friends

O cenário socioeconômico foi radicalmente transformado em função da pandemia de covid-19, impactando os mais diversos segmentos e indústrias, como é o caso dos bancos de varejo. Enquanto o mundo passava por mudanças intensas, as necessidades e expectativas dos clientes continuaram a evoluir constantemente.

O estudo Future of Retail Banking, produzido pela KPMG International, avaliou que os bancos de varejo enfrentam um ambiente mais complexo do que nunca. Segundo a publicação, para sobreviver e prosperar, o setor deve construir um modelo operacional baseado em oito capacidades principais integradas.

Essas capacidades podem permitir que o banco desenvolva uma abordagem verdadeiramente centrada no cliente, criando valor de negócios e impulsionando o crescimento sustentável. São elas:

  • Estratégias direcionadas por insights e ações;
  • Produtos e serviços inovadores;
  • Foco na experiência por design;
  • Negócios integrados;
  • Operações e cadeias de suprimentos ágeis e flexíveis;
  • Força de trabalho alinhada e fortalecida;
  • Arquitetura de tecnologia digitalmente habilitada;
  • Parcerias e ecossistema de alianças.

O modelo de negócios dos bancos de varejo ditará o valor relativo e a prioridade de cada um dos itens elencados. Estas oito capacidades servem para toda a empresa e alinham o modelo operacional para focar na entrega de valor ao cliente e ao negócio.

Os cinco sinais de mudança em função da pandemia

A publicação aponta ainda cinco sinais de mudança do mercado em consequência da dinâmica de transformação resultante da pandemia:

  • Clientes: suas prioridades estão mudando, eles esperam experiências digitais transparentes e estão examinando de perto o valor de serviços e produtos.
  • Concorrentes: os bancos tradicionais estão sendo desafiados por bancos inovadores e participantes não tradicionais do mercado por todos os lados.
  • Economia: as consequências da covid-19 estão prontas para desafiar o setor dos bancos de varejo.
  • Regulamentação: os reguladores já estão adotando e devem intensificar uma abordagem cada vez mais intervencionista para aumentar a concorrência, garantir que dados sejam protegidos e apoiar clientes vulneráveis.
  • Tecnologia: tecnologias novas e emergentes continuarão redefinindo o relacionamento entre o cliente e o banco, uma vez que o consumidor busca experiências simples, fáceis e personalizadas.

Transformações no modelo de negócios

O estudo considera ainda que os efeitos de mercado desencadeados pela pandemia são tão significativos que eles criarão mudanças estruturais permanentes no setor de bancos de varejo.

Segundo a publicação, os cinco modelos bancários principais existentes (bancos de serviço completo, bancos especializados, provedores de crédito ao consumidor, provedores de transferências de fundos e provedores de carteiras digitais) serão reduzidos a três novos formatos, com o cliente sendo fundamental para cada um deles:

  • Bancos globais;
  • Bancos focados em transações;
  • Bancos ambientais.

Acesse o estudo Future of Retail Banking na íntegra e saiba mais sobre os novos modelos de negócio para o setor.

Future of Retail Banking

Download PDF
(PDF 937.6KB)


conecte-se conosco