close
Share with your friends

Para o Comitê de Nomeação e Governança, o ano de 2020 foi uma verdadeira prova de agilidade e resiliência, uma vez que diferentes Conselhos e Comitês tiveram que se adaptar rapidamente para enfrentar, de maneira assertiva e estratégica, os desdobramentos provocados pela pandemia da Covid-19.

O novo cenário requer mais do que uma gestão eficiente, exigindo que o próprio Conselho e seus comitês (incluindo o Comitê de Nomeação e Governança) façam uma autoanálise acerca de sua composição, a fim de repensar processos de recrutamento e administração, bem como redirecionar esforços que visam conduzir os negócios em meio aos atuais desafios, reduzindo possíveis riscos.

Com o intuito de destacar e esclarecer a relevância dessas prioridades para a condução da agenda do Comitê de Nomeação e Governança, o ACI Institute Brasil e o Board Leadership Center da KPMG elaboraram a publicação Comitê de Nomeação e Governança: Prioridades para a agenda de 2021.

O material, fundamentado em análises de mercado, entrevistas com líderes, além de estudos e publicações internacionais, aponta os oito assuntos que devem guiar a pauta desses Comitês ao longo deste ano:

  1. Expertises necessárias para apoiar a recuperação;
  2. Planejamento e práticas de recrutamento e sucessão;
  3. Sucessões de emergência;
  4. Assertividade de medidas contra o racismo;
  5. Gerar valor por meio da diversidade;
  6. Planejar a interação com investidores ativistas;
  7. Incorporar perspectivas mais amplas de stakeholders; e
  8. Desafiar o pensamento tradicional. 

Diversidade: um assunto que deve ser debatido

A publicação destaca que é preciso “gerar valor por meio da diversidade”, sendo que é função do comitê garantir que o Conselho tenha a combinação certa de habilidades para associá-las às premissas da Administração, conduzindo a empresa da melhor forma possível em um ambiente tão volátil.

O ano de 2021 será crítico para o engajamento dessas questões, incluindo medidas contra o racismo sistêmico. Empresas que dispõem de estruturas sólidas e de processos transparentes que visam mitigar, entre outros preconceitos, o racismo e a desigualdade nos negócios, ganham destaque no mercado. Viabilizar medidas efetivas com relação a essas questões será fundamental para o sucesso das companhias no longo prazo.

Acesse o documento e confira como Conselhos e Comitês de Nomeação e Governança podem ajudar a conduzir uma gestão eficaz e assertiva em meio aos desafios impostos pelo contexto global, em especial, pela pandemia da Covid-19.

conecte-se conosco