close
Share with your friends

Pesquisa da KPMG nos Estados Unidos detalha como o setor alimentício está lidando, aproveitando as oportunidades e se preparando para o período pós-covid-19 em meio aos novos hábitos alimentares do consumidor norte-americano.

O estudo intitulado When luck is not a strategy destaca que 67% dos consumidores afirmam que, mesmo após o fim das medidas restritivas, o hábito de consumir e preparar refeições em casa deve permanecer (home is the new hub). Hoje, esse número é de 77%.

Essa tendência pode ser observada, ainda, nas comemorações do final do ano, uma vez que a maioria dos entrevistados pretende preparar as refeições em suas próprias residências, e, para 77% dos consumidores, as reuniões serão enxutas (com menos de dez pessoas).

Esses resultados corroboram com a afirmação de que, para o setor alimentício, as alterações no comportamento do consumidor possibilitou, também, o crescimento de receitas e negócios, revelando uma nova possibilidade estratégica para esse mercado.  

O setor alimentício tem novas oportunidades pela frente

Mais que tendência, os dados mencionados anteriormente representam uma “nova realidade” no padrão do consumo. O setor alimentício tem, portanto, algumas possibilidades para fomentar os negócios desde que priorizem o consumidor.

Neste ponto, o estudo destaca, por exemplo, a preferência de consumo pelo delivery e pela retirada em loja. Um percentual de 33% afirmou que o delivery é a maneira pela qual estão recebendo os alimentos. Já para 28% dos entrevistados, a retirada em loja é a melhor opção.  

Esses são alguns dos insights da pesquisa When luck is not a strategy. Clique abaixo e confira mais informações sobre os impactos da mudança no padrão de consumo no setor alimentício. 

                   

Sócio-líder de Consumo & Varejo no Brasil e na América do Sul

KPMG no Brasil

E-mail

Meu perfil

Conteúdo exclusivo e personalizado para você

Sign up today

conecte-se conosco