As operadoras estão analisando estratégias para alocação de espectro, expandindo lançamentos e acelerando implantações do 5G nos EUA

A epidemia de COVID-19 e as ordens de “fica em casa” levaram ao aumento do trabalho, ensino e entretenimento remoto para milhares de pessoas ao longo dos Estados Unidos. Isto fez com que o uso da internet aumentasse – colocando grandes demandas nas redes de comunicação. 

Por exemplo, as pessoas estão se inscrevendo em serviços de streaming de forma rápida. Recentemente, a Forbes relatou que as inscrições para o canal Disney + triplicaram no período de uma semana; para a HBO Now aumentaram 90%; e para a Netflix as assinaturas aumentaram 47%. Isso sem considerar o trabalho de casa e as necessidades educacionais remotas.

Além disso, análises recentes mostram que o consumo médio diário geral de banda larga fixa por usuário nos EUA aumentou aproximadamente 3GB de janeiro até agora. Tudo isso ampliou a necessidade de redes mais robustas nos EUA – gerando uma provável aceleração na implantação de tecnologias baseadas no 5G.

Enfrentando o desafio

Com o aumento da demanda por internet, vários provedores estão se preparando para expandir a capacidade da rede, suspendendo os limites excedentes, oferecendo serviços de banda larga e rede sem fio de menor custo e prometendo não cancelar o serviço para aqueles afetados pelo vírus.

Como parte do Keep Americans Connected Pledge, a FCC (Federal Communications Comission) concedeu às operadoras AT&T, Verizon, Sprint, T-Mobile e US Cellular acesso temporário ao espectro sem fio adicional para reforçar o acesso nacional durante a pandemia nos Estados Unidos. Provavelmente veremos mais pedidos de espectro adicional à medida que a crise continua a se desenrolar e a demanda continua crescendo.

Preocupações com o espectro 5G

Isto levanta questões relevantes para a implantação 5G, especificamente em torno da alocação de espectro. Em muitos mercados, as empresas de telecomunicações têm enfrentado desafios para atualizar a infraestrutura de rede e estão oferecendo grandes somas para adquirir licenças de espectro, isso já antes da pandemia de COVID-19.

O maior leilão de espectro da FCC (até o momento), realizado em meados de março, rendeu US$ 4,7 bilhões para as bandas 5G mmWave. Este espectro de banda alta permite velocidades da ordem de dezenas de Gbps com latência extremamente baixa; no entanto, a área de cobertura é limitada e a penetração de edifícios é fraca.

Em comparação, o espectro de banda média oferece um bom equilíbrio entre ampla cobertura e penetração de edifícios aceitável. Ele também possui velocidades mais rápidas e menor latência do que os sistemas atuais. A FCC estava planejando realizar dois leilões separados para espectro de banda média ainda este ano – um para espectro de banda C de 3,5 GHz e outro para espectro de banda C de 3,7 GHz. No entanto, eles adiaram o leilão de 3,5 GHz por um mês nas condições atuais. Então, o que isso significa para as futuras implantações?

Lançamentos do 5G nos EUA

Atualmente, o 5G está se expandindo nos EUA e as datas de lançamento variam para cada operadora. Em meados de março, muitas operadoras ainda estavam no caminho certo, ou mesmo anunciando planos para acelerar suas implantações:

  • Verizon: O 5G fixo e móvel está ativo em várias áreas. Eles anunciaram US$ 500 milhões adicionais para acelerar a transição da empresa para 5G e, assim, apoiar a economia durante este período de turbulência.
  • AT&T: 5G móvel para clientes em mais de cem mercados metropolitanos com cobertura nacional planejada até o final de 2020.
  • T-Mobile: Serviço 5G comercial disponível em mais de 5 mil metrópoles e municípios. Eles anunciaram um plano 5G de US$15/mês que estará disponível após sua fusão com a Sprint.
  • Sprint: Mobile 5G em Atlanta, Chicago, Dallas-Fort Worth, Houston, Kansas City, Phoenix, Los Angeles, Nova York e Washington DC.
  • U.S. Cellular: O 5G está disponível em partes de Iowa e Wisconsin.
  • Comcast: Lançará o 5G no início de 2020 por meio de um contrato MVNO com a Verizon.

Durante esse período de interrupção, os provedores estão desempenhando um papel fundamental na conexão de pessoas e empresas. Só o tempo dirá qual será o impacto da COVID-19 na continuidade do lançamento do 5G nos EUA. 

Saiba mais, aqui, sobre como a KPMG está ajudando nossos clientes a navegar pelo desafio que a COVID-19 apresenta.

Meu perfil

Conteúdo exclusivo e personalizado para você

Sign up today

conecte-se conosco

Saiba mais