close
Share with your friends

Saneamento básico: um direito a ser universalizado

Saneamento básico: um direito a ser universalizado

Como a participação da iniciativa privada pode ampliar o caminho para que as metas de distribuição de água tratada e de coleta e tratamento de esgoto para toda a população brasileira sejam atingidas de fato

Conteúdo Relacionado

Saneamento básico

Cerca de 36 milhões de pessoas (17% dos brasileiros), cerca de metade da população da Alemanha, não são abastecidos com água tratada. Outros 101 milhões (48% dos  brasileiros), cerca de uma vez e meia a população da França, não contam com serviço de coleta de esgoto no Brasil. 

São números que se traduzem em doenças, como a hepatite A, leptospirose (transmitida pela urina do rato), cólera, verminoses e amebíases diversas etc. 

O cenário do saneamento no Brasil se torna ainda mais preocupante quando se considera  outro problema: a perda na distribuição de água. Em 2018, mais de 38% da água tratada não chegou ao consumidor final, porque foi perdida ao longo do sistema de distribuição depreciado e sem manutenção adequada. 

© 2020 KPMG Auditores Independentes, uma sociedade simples brasileira e firma-membro da rede KPMG de firmas-membro independentes e afiliadas à KPMG International Cooperative (“KPMG International”), uma entidade suíça. Todos os direitos reservados.

conecte-se conosco

 

Quer fazer negócios com a KPMG?

 

loading image Pedido de proposta