close
Share with your friends

A 4ª edição do Estudo produzido pelo time especializado em esportes da KPMG, revela que na temporada 2018/19 da UEFA Champions League, as receitas de transmissão dos jogos foram, mais uma vez, determinantes para o aumento do lucro operacional dos principais clubes de futebol da Europa.

A conclusão acima foi obtida a partir de análise e comparação dos indicadores de desempenho financeiro mais relevantes dos clubes campeões das principais ligas do continente europeu, como Ajax, Barcelona, Bayern de Munique, Benfica, Galatasaray, Juventus, Manchester City e Paris Saint-Germain.


Além disso, foi constatado que quatro, dos seis jogadores mais valorizados do mercado mundial, são brasileiros – Neymar e Marquinhos, no Paris Saint-Germain, Philippe Coutinho, no Bayern de Munique, e David Neres, no Ajax -, e dois deles, argentinos - Lionel Messi, no Barcelona e Paulo Dybala, no Juventus.

Veja abaixo os principais resultados do Estudo:

  • O Barcelona tem as maiores receitas operacionais, um recorde de  € 839,5 milhões entre os oito campeões, seguido pelo Paris Saint-Germain, o Bayern de Munique e o Manchester City;
  • O Ajax mostrou o maior aumento de receitas operacionais no comparativo ano-a-ano (+117%), seguido pelo Benfica (+36%);
  • Com exceção da Juventus, as receitas de transmissão de jogos tomaram a dianteira como o maior determinante do aumento de receita para os clubes campeões, enquanto na temporada anterior, a receita comercial foi a principal contribuinte para o crescimento.

Além disso, veja abaixo, alguns paralelos entre o futebol brasileiro e o europeu:

  • As receitas de 2019 com televisionamento dos clubes brasileiros devem ficar na casa dos 50% do faturamento total - sem considerar vendas de atletas, para ficar na mesma base de comparação dos clubes europeus -,com uma maior dependência do lucro quando comparado aos times europeus que, em média, possuem 43% das suas receitas provenientes de contratos de televisionamento;
  • Outra comparação relevante é a média de público dos campeões europeus analisados, que possuem uma taxa média de 90% de ocupação, com público médio de 54 mil torcedores por partida – o caso mais interessante é do Bayern de Munique com 100% de ocupação em todos os jogos, levando 75 mil torcedores em cada partida realizada na Allianz Arena -. No Brasil, a média do Flamengo, campeão nacional, chegou a 84%, com média de 55 mil torcedores.

 

Francisco Clemente
Líder de Mídia & Esportes da KPMG no Brasil
fclemente@kpmg.com.br
(11) 3940-8381

Chilana Leonardo
Especialista em Clubes de Futebol e gerente sênior do time de Restructuring da KPMG no Brasil
ccleonardo@kpmg.com.br
(21) 2207-9541

Dustin Pozzetti
Sócio-líder de Tecnologia, Mídia & Sports e Telecomunicações da KPMG no Brasil
(11) 3940-1958
dustinpozzetti@kpmg.com.br

conecte-se conosco

Conteúdo Relacionado