close
Share with your friends

Mudança contínua, adaptação e inovação são o novo normal nesta era de disrupção digital. Os modelos comerciais e operacionais tradicionais estão sendo substituídos por estruturas e estratégias mais rápidas e fluidas. O papel do CFO nunca foi tão dinâmico ou diferente.

Para ajudar os CFOs a navegarem nesse novo cenário e atuarem em alta performance, a KPMG analisou informações públicas sobre 175 CFOs de 100 empresas de tecnologia e telecomunicações e identificou fatores em seus antecedentes relacionados ao sucesso.

Aqui está o que aprendemos:

Cada vez mais, espera-se que o CFO conduza a estratégia corporativa e, para fazer isso de forma eficaz, deve possuir habilidades e experiência além da função financeira. O resultado: os planos de carreira dos CFOs modernos são tudo menos lineares. Mais de um terço dos CFOs da nossa amostra trabalhava em posições operacionais ou estratégicas, como líderes de unidades de negócios, COOs e estrategistas, em suas três funções anteriores.

A mudança também está acontecendo rapidamente. A parte dos CFOs da atual geração com experiência operacional e estratégica aumentou quase 70% com relação à uma geração anterior de CFOs. A parcela de contratações externas aumentou quase 40%. Em nossa amostra, o número de mulheres em funções de CFO quase dobrou.

Além disso, descobrimos que tanto a experiência interna quanto a operacional estavam correlacionadas com o sucesso na função de CFO. No entanto, muitas outras experiências - obter um MBA, trabalhando em um papel estratégico - não estavam.

Dito isto, todo CFO tem a oportunidade de ter um desempenho melhor e, para fazer isso, o CFO do futuro precisará se tornar:

  • Um consultor dos CEOs: antecipando desafios, identificando oportunidades e desenvolvendo planos estratégicos para ajudar a impulsionar os negócios.
  • Um investidor em tecnologia: fazendo investimentos estratégicos, apostando no que as tecnologias trarão para a empresa e combinando o tamanho do investimento com o tamanho da oportunidade.
  • Líder de transformação: identificando áreas de crescimento e melhorias operacionais e promovendo mudanças em toda a organização.
  • Um diretor de dados e análises: trabalhando em grandes volumes de dados para fornecer valor estratégico.

Conteúdo Relacionado